Blog de HOMERO VIANNA JR


 

 ASSIM É SE LHE PARECE

O CHURRASCO de campanha eleitoral, devidamente acompanhado de farofa e cerveja, é marca registrada nacional. Multiplicado por mil às vésperas de uma eleição, geralmente patrocinado por um cabo eleitoral interessado em vantagens futuras, esse rega-bofe vale mais do que os candentes discursos, que nunca faltam em seu transcurso; nem centenas de palavras, as mesmas cediças e vãs palavras rotineiras de tais ocasiões, ganham da mensagem gustativa representada por uma picanha mal passada e uma Antártica gelada. Mas agora, amigos, um novo formato de comilança eleitoral acaba de ser lançado por madame Suplicy. Nada de carne de segunda em pratinhos de papelão, nada de churrasqueiras improvisadas com tijolos em terrenos baldios; dona Marta, a que dispensou o homem, mas ficou com seu sobrenome, abriu seus salões em São Paulo para, em torno de finos acepipes e de vinhos de boa origem, apresentar a "Mãe do PAC" a meia dúzia de dondocas, ditas “formadoras de opinião”. Não se sabe se o caviar era de boa qualidade ou se o filé estava no ponto, mas sabe-se pelos jornais que a estrela do ágape representou bem seu papel. E, para confirmar que além do cirurgião plástico, seu marqueteiro está também fazendo um bom trabalho, a ex-guerrilheira impressionou a "peruada" ao mostrar que não é nada daquilo que seu passado diz; que, muito pelo contrário, é um amor de criatura, delicada, doce, quase santa... Portanto, não se surpreendam se, para continuar desmentindo seu passado de terrorista, ela aparecer qualquer dia desses fazendo dupla com Ana Maria Braga na cozinha do “Mais Você”. E, evidentemente, discutindo a conjuntura econômica nacional com o abominável Louro José.                                            



Escrito por homeroviannajr às 14h31
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A FAVOR DO CONTRA

  DE UM LADO, com sua moto-serra, o interesse econômico do aumento da área de plantio na Amazônia; de outro, os ambientalistas na defesa da preservação da floresta. Eis aí um dos mais momentosos embates nacionais. Surge então a pergunta: ficar com quem nessa parada? Sinuca de bico para Luiz Inácio, dirão vocês. Sim, porque esse é um tipo de embate que não permite coluna do meio; ou se é contra ou a favor. Não dá para torcer pelo Fluminense cantando o hino do Flamengo. E o "Maior Presidente do Sistema Solar", sabedor disso, e comprometido com as duas partes em confronto, vai ter que decidir. Mas maior que o interesse em assumir uma posição, e arcar com as consequências, está o interesse pessoal dele. É preciso, mais do que tudo, usar engenho e arte para ficar bem politicamente com as partes em litígio. Daí que, procurado por zangados militantes ambientalistas, que lhe mostraram um manifesto pelo fim do desmatamento, ou seja, contra a medida provisória que ele mesmo editara, o Homem de Garanhuns pegou a caneta e, zas, pespegou seu jamegão, dando apoio ao protesto. Surpresa? Não para mim, que já dissera tempos atrás que ele é invulnerável justamente por isso: conseguir ser, ao mesmo tempo, governo e oposição a si mesmo. O Globo, ao que parece, descobriu essa mágica agora, como revela este seu minieditorial: “O político Luiz Inácio Lula da Silva se excede. Agora, ele acaba de assinar um manifesto pelo fim do desmatamento na Amazônia, reivindicação que significa uma crítica a seu governo. Lula de fato se descolou da administração Lula. Virou uma instituição, um santo de andor da política nacional, reverenciado na procissão dos beneficiários do assistencialismo populista”. Não é preciso dizer mais nada. E Dilma, o mesmo do mesmo, está vindo aí...



Escrito por homeroviannajr às 16h15
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




PALOCCI, AONDE VAIS TÃO INOCENTE?

 

            O QUE vocês vão ler agora é um artigo de Augusto Nunes. Sou levado a transcrevê-lo porque, mais que um libelo, é uma espécie de colonoscopia, a revelar mazelas intestinais de um tempo que, para azar nosso, parece que vai demorar a passar.

            Por falta de quorum, o Supremo Tribunal Federal adiou a absolvição que falta para transformar o deputado federal Antônio Palocci, por falta de provas, no candidato do PT ao governo de São Paulo sem maiores explicações a oferecer, sem mea culpa a fazer.  Como faltaram provas, o ex-prefeito de Ribeirão Preto escapuliu do banco dos réus onde o instalara a suspeita de que se meteu em delinquências e patifarias promovidas pela empresa Leão e Leão, incumbida de coletar o lixo da cidade. Como a maioria das 11 togas anda murmurando que faltam provas, o ex-ministro da Fazenda será inocentado no julgamento do processo que trata da quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa.

            É possível que a Polícia Federal não tenha reunido provas e evidências suficientes para convencer os ministros do STF de que Palocci  participou diretamente do estupro da conta na Caixa Econômica Federal, ocorrido em 2006. Os sherloques sempre parecem mais interessados na vítima que no suspeito. É possível que faltem à papelada burocratices indispensáveis à colagem do selo que  identifica um  ‘devido processo legal’.  Tudo é possível num Poder Judiciário em que se tornaram rotineiras coisas de que até Deus duvida.

              Deus decerto duvida de que o STF está prestes a surpreender o mundo jurídico com uma invenção brasileiríssima: o estupro sem estuprador. Ministros, desembargadores, meirinhos, delegados, bacharéis, estagiários, todos sabem o que nem o logotipo da Caixa finge ignorar: a conta foi violada ilegalmente. Houve, portanto, um estupro. Mas não haverá um estuprador caso Palocci seja inocentado. Se não existe o criminoso, tampouco existirão cúmplices, comparsas, paus-mandados ou coisa parecida. Só o crime. É uma novidade e tanto.

               Até o fim de setembro, parentes e amigos de infância de Palocci podiam fazer de conta que a culpa do réu não fora inteiramente comprovada. Depois do início de outubro, quando circulou a edição n° 25 da revista Piauí, foi implodido o direito a dúvidas solidárias. Baseada em investigações que se estenderam por um ano, uma irretocável reportagem de João Moreira Salles recompôs minuciosamente a história espantosa. Se os ministros do STF querem saber o que ocorreu, está tudo ali. Se querem provas, indícios, evidências, está tudo ali. Se querem reconstituir os passos dos envolvidos e conhecer a atuação de cada um, está tudo ali. O que a polícia deixou de fazer foi feito exemplarmente por Moreira Salles.

              A leitura impõe a desoladora sensação de que a pátria da impunidade já não se limita a absolver pecadores. Também pune inocentes. Num depoimento à CPI dos Bingos, Palocci disse que nunca visitara a suspeitíssima ‘República de Ribeirão Preto’. Encarregado de cuidar da mansão no Lago Sul, Francenildo contou que o ministro aparecia com frequência no endereço alugado por amigos que o chamavam de ‘chefe’.  Por ter mentido, Palocci perdeu o cargo no primeiro escalão ─ mas se elegeu deputado meses mais tarde e pode virar candidato a governador. Por ter dito a verdade, o caseiro perdeu o emprego, o sossego, a mulher e a chance de conseguir trabalho fixo em Brasília.

             Formalizada a absolvição, os brasileiros terão de acreditar que o sigilo bancário de Francenildo se quebrou sozinho. E os imortais da Academia Brasileira de Letras terão de decidir qual é a grafia correta da novidade. Em 2006, o que houve foi um auto-estupro. Depois da reforma ortográfica, o hífen ficou ou sumiu?”.

            O hífen, nesse caso, sumiu. Só não sumiu ainda a esperança de que este país venha a ser conduzido por gente melhor. Mas também está quase sumindo.

                        



Escrito por homeroviannajr às 11h51
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




PEQUENAS CONSIDERAÇÕES DOMINICAIS

(Embora ainda seja sexta-feira)

 GAROTINHO bateu asas para o PR, o partido linha auxiliar do governo federal. Porém entrou falando grosso, alertando que “mantém sua crítica ao presidente Lula”. Mas disse que em 2010 vai apoiar dona Dilma. A dona Dilma que, se eleita, será uma espécie de pau-mandado daquele que ele critica. Entenderam? Não? Não é pra entender mesmo não.

 O BRASILEIRO trabalha quatro meses do ano só para pagar impostos. Impostos que garantem a boa vida dos governantes e não retornam em forma de serviços. Mas, mostram as pesquisas, as pessoas estão satisfeitas. Agora mesmo, ouvi no rádio que morre mais gente diariamente no Hospital Souza Aguiar do que no Iraque. Mas está todo mundo feliz.

 

·       RUBENS Ricupero, com a autoridade de quem já presidiu o conselho da OMC, pegou pesado com relação ao episódio envolvendo Ellen Gracie: “O governo brasileiro aprendeu com um episódio público que lá fora é diferente. Algum dia aprenderemos a ser sérios e a respeitar as regras”. Eles aprenderem a ser sérios? A respeitar as regras? Desse susto não morra, meu amigo.

 LÁ DA GUATEMALA, Luiz Inácio interrompeu seu passeio para aproveitar-se da tragédia que a todos entristeceu e, fazendo uso de sua proverbial grossura, bradar: “Um país que acha petróleo a 7 mil metros de profundidade pode achar um avião a 2 mil”. Essa foi demais. Marketing em cima de uma desgraça. Mas seus devotos gostam disso, como gostam.

 REINALDO Azevedo, a respeito dessa conduta podre do Homem de Garanhuns: “Não sei se vocês atentaram para a ironia da coisa. Ele já se orgulha de o Bolsa Família crescer em vez de diminuir. Assim, quanto mais miséria, mais estufa o peito. Eis um homem que vê nas tragédias uma janela de oportunidades. Santo Deus!”. E o que se há de fazer? Os pitecantropos brasiliensis adoram esses tipos; identificam-se com eles. É só olhar as pesquisas.

 

·       JOSÉ Serra que se prepare, seu inferno astral está apenas começando. E certamente vai aumentar à medida que a eleição se aproximar. A saída foi dada por funcionários da USP, que em greve por aumento de salários, bloquearam a portaria dos prédios do campus e impediram o ingresso de alunos. E não se iludam, vem mais tumulto por aí.

 NA MOITA, Zé Dirceu está percorrendo o país para, segundo eufemística versão de Ancelmo Gois, “formar uma espécie de rede de imprensa simpática ao PT”. Como em negociações desse tipo não entra só saliva, entra dinheiro grosso, o colunista ficou a nos dever uma informação: quem está pagando por essa operação de compra de simpatia?

 HÁ UMA música antiga do nosso cancioneiro que fala da triste sina de uma árvore, o sândalo: perfumar o machado que o derrubou. Ela me veio à lembrança ao ver, agora, nos jornais, a fotografia de Fernando Collor beijando a mão da musa do PT. Que triste personagem, beijando a mesma mão que, de alguma forma, ajudou a lançá-lo à execração pública. O quê? Sem-vergonhice??? Não, eu não falei isso. Vocês é que estão dizendo.

 MEU MAIOR prazer nessas viagens é que a imprensa cansa primeiro do que eu”. São palavras proferidas pelo Homem de Garanhuns na Guatemala ou em São Domingos ou na Costa Rica. Não se sabe. Só se sabe é que se esqueceu de dizer que os jornalistas se cansam porque, ao contrário dele, viajam a trabalho...

 AÉCIO Neves, em tom de desabafo, disse que o seu partido, em matéria de comunicação, tem que aprender com o PT. E como tem. Eles são profissionais. De se esperar, porém, que não queiram aprender outras coisas que o pessoal da estrelinha faz quando é governo. Lembram-se de Celso Daniel?

 ALTEMIR Gregolin, para quem não sabe, é o titular de um dos mais exóticos ministérios criados por Luiz Inácio. Ele é, simplesmente, ministro da Pesca! Daí, amigo, você que no domingo sai de casa com caniço e samburá, fique sabendo, você tem um ministro! Dizem que ele não sabe a diferença entre um badejo e um barrigudinho, mas isso não tem nada a ver. O que interessa é que o homem é ministro!

 

·       AGORA, não riam porque não é piada. O ministério das Relações Exteriores quer que o jogo Flamengo x Corinthians pelo campeonato brasileiro seja realizado, sabem onde? Na Palestina, para demonstrar o interesse do governo em promover a paz naquela região. Como o dinheiro deve estar sobrando lá no Planalto, sugiro levar também as torcidas organizadas Gaviões da Fiel e Raça Rubro-Negra. Elas entendem de paz melhor do que ninguém.    

 

              Agora, um Merchandising: O programa Serginho Total está na Rádio Fluminense AM-540, diariamente, das 8 às 10. E eu estou lá, às segundas-feiras, contando histórias de meus livros.



Escrito por homeroviannajr às 10h20
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

NÃO HÁ MAIS MOTIVO PARA MEDO

           

 ESTÃO lembrados dos candentes discursos “patrióticos” proferidos pelos Lindenbergs, Biscaias e outros militantes do PT na tentativa de desmoralizar a CPI da Petrobras? E aí? Não deu para desconfiar daquele arroubo frenético, quase desesperado na defesa do “patrimônio nacional”? Pois é, era medo puro. Reportagem do jornal O Globo revela o motivo de tanta aflição. Ficamos sabendo que o governo “dividiu diretorias com partidos aliados, preservando o PT em posição hegemônica. E mais, que “entregou boa parte dos três mil principais cargos gerenciais a sindicalistas ligados à CUT. E daí? Esse aparelhamento faz parte do jogo, argumentarão os petistas. Tenho minhas dúvidas, mas vá lá, faz parte do jogo. Mas o que não faz parte, meus caros, é o que essa gente está fazendo lá. Segundo o jornal, com a disparada do preço do petróleo no ano passado, “a Petrobras ganhou nova dimensão como um instrumento de poder econômico e político”. E, “a partir de um caixa recheado como nunca antes na sua história, construiu uma ‘rede social’, com cerca de R$ 1 bilhão anual”, com os quais “sustenta organizações não governamentais (que não prestam contas a ninguém – digo eu), cuja capacidade de mobilização é de 18 milhões de pessoas em todos os estados”. E conclui:É o novo lastro político da Petrobras na era Lula”. Mais adiante, o jornal revela ainda que “são fortes os laços dos partidos aliados do governo com as empresas líderes no fornecimento de bens e serviços à Petrobras”, as quais “faturaram R$ 10,4 bilhões com esses negócios”. Negócios como o da construção da Refinaria Abreu Lima, onde, informa o jornal, inspeção do TCU detectou “um superfaturamento da ordem de R$ 94 milhões”. Pois bem, do dinheiro distribuído por essas empresas,o bloco governista recebeu 70,9%”, nas duas últimas eleições. Entenderam agora o porquê daquela passeata de cunho oficial, numa caricata encenação de defesa da "soberania da Petrobras"? Daquela discurseira histérica? Medo puro, repito. Mas agora eles já devem estar tranquilos. O imaculado presidente Luiz Inácio agiu com rapidez. A dupla de super-heróis Renan e Jucá já foi chamada e, satisfeita com a recompensa governamental, já está em ação. E, como a oposição não tem força, os dois, coadjuvados pela Mulher-Maravilha Ideli Salvati, vão fazer com que a CPI não investigue nada. Ou melhor, como anunciou o Super-Jucá, vai investigar, sim, a gestão da estatal no governo... Fernando Henrique. Como na CPI dos cartões corporativos, lembram-se? A farra, portanto, vai continuar. Mas o pior, amigos, está por vir. Luiz Inácio já declarou que, com a provável eleição da terrorista, quer presidi-la. Como se trata, segundo um humorista, "de empresa que explora verbas profundas", receberá certamente a assessoria de Silvinho Land Rover e companhia. E com Severino Cavalcanti em uma diretoria. A diretoria que fura poço.

 



Escrito por homeroviannajr às 20h38
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A GARGANTA ENROLADA          

 LUIZ Inácio não está mais por aqui. Já escafedeu-se, batendo asas rumo à América Central. E olha que, não faz muito tempo, coisa de dez dias, ainda estava turistando lá pelos lados da Arábia Saudita, da Turquia e da China, de onde - são suas as palavras ao discursar na Bahia - voltou com problema na garganta, “que se enrolou talvez porque tenha falado árabe, chinês e turco”. Pois é, e no palanque armado para ele no Campus da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, para não perder o hábito de fazer recair em alguém ou em algo culpas que deveria assumir, atribuiu a esse périplo idiomático imaginário a dificuldade de “agora (agora?) falar o português”. Mas, de certa forma, é forçoso reconhecer que tanto tempo passado fora do país e o contato permanente com idiomas e dialetos estranhos, mesmo não os falando e não os entendendo, mexem com a cabeça das pessoas. Principalmente depois de umas timbucas tomadas durante o almoço... Não há outra explicação, portanto, para esta parte do discurso, em que a Grotesca Figura se refere às ações do Iphan na região: “Vou ter de repetir o que o Iphan disse para vocês poderem gravar o que está sendo FAZIDO aqui”. Um primor de frase. A garganta se enrolou mesmo.



Escrito por homeroviannajr às 08h58
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A FESTA NÃO PODE PARAR

        

 O AEROLULA pousou mais uma vez no Rio de Janeiro. Trouxe a trupe do Planalto, Luiz Inácio à frente, para mais uma inauguração eleitoreira atribuída ao PAC – como já foi dito não me lembro por quem, não se prega um prego no Brasil que não seja em nome do PAC. E, evidentemente, com a “mãe” presente. Desta vez o comício foi em uma favela e a ele não poderia faltar Serginho Cabral, o padrinho carioca da... monumental obra a ser inaugurada. Em que pese a irrelevância da motivação desse convescote petista, os jornais, como sempre, deram-lhe destaque. Mostraram até o presidente, sorriso aberto, a bater bola com o governador, diante de devotos embevecidos. E, como não poderia deixar de ser, o novo êmulo de Cícero fez discurso. Um discurso para, no uso da fina educação política que o ABC paulista lhe deu, pedir aos favelados que, em 2010, “não votassem em vigarista”, em clara alusão a José Serra, provável adversário de dona Dilma. Mas como o Brasil não se resume a alegres comícios de inaugurações de obrinhas e a desajeitadas linhas-de-passes, os jornais também se viram obrigados a mostrar, lado a lado, o que está acontecendo no outro Brasil; o Brasil das tragédias, algumas provocadas pela desídia dos verdadeiros vigaristas. Desta vez a que está a ocorrer no Piauí, onde pessoas morreram e milhares estão desabrigadas, vítimas do rompimento de uma barragem. E, preocupado em dar o drible da vaca no pândego Serginho Cabral, Luiz Inácio não está nem aí. Para quê se preocupar com o sofrimento e o desespero desses infelizes, se a vida é bela, as viagens pelo mundo afora não custam nada, os cartões corporativos permanecem ativos, os dólares continuam guardados na cueca e há sempre uma bolinha para se bater? E, de certa forma, amigos, acho que sem querer ele acertou. Chega de votar em vigarista.



Escrito por homeroviannajr às 18h16
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




OMC NÃO É PETROBRAS

 

            O livro “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas”, do escritor Dale Carnegie, foi sucesso de vendagem no Brasil lá pelos idos de 1960. E eu não tenho a menor dúvida de que entre seus muitos leitores estava incluída essa turma do PT. Só não posso afirmar, mas desconfio que os ensinamentos nele contidos foram os usados por Celso Amorim e companhia para convencer a ministra Ellen Gracie a se candidatar, embora fossem pequenos seus conhecimentos de comércio internacional, a uma vaga na Corte de Apelação da OMC. O resultado vocês já conhecem. Mordida pela mosca azul, melhor diria pela mosca vermelha do PT, ela, que estava posta em sossego no STF, ao qual emprestava o brilho de sua cultura jurídica, perdeu para um mexicano com nome de cantor de boleros, que teve o apoio da China. Pois é, a mesma China mui amiga, que nos deve favores no campo diplomático, e onde Luiz Inácio esteve faz pouco tempo a pretexto de vender frango... Mas, perguntarão vocês, qual o interesse do Planalto em emplacar Ellen Gracie? Simples, meus caros, caso fosse ela a escolhida abrir-se-ia (com o perdão pela mesóclise) uma vaga na Suprema Corte. Vaga para a qual o time da estrelinha vermelha já tinha o escolhido; o Homem de Garanhuns já estava até com a caneta na mão para assinar o ato de nomeação. De qualquer forma, convenhamos, foi bom para o país, que vai continuar contando, no Supremo, com a independência e isenção de Ellen Gracie. Só não foi bom para o governo, que saiu humilhado do episódio e aprendeu, segundo desabafo de um diplomata, que OMC não é Petrobras, para onde ele nomeia quem bem entende.         



Escrito por homeroviannajr às 19h52
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




PEQUENAS CONSIDERAÇÕES DOMINICAIS

DE VOLTA ao Brasil, aonde de vez em quando vem, Luiz Inácio, em um comício na Bahia pediu desculpas por falar pouco em razão de problemas na garganta. Segundo ele, “talvez por ter falado, esta semana, em árabe, em chinês e em turco, minha garganta se enrolou”. Para Augusto Nunes, a garganta do dito cujo “se enrolou” foi por falar bobagem em português...

       RICARDO Noblat, em sua coluna no Globo, analisa o comportamento do governo diante da CPI: “Por mais que negue, ele teme, sim, a abertura da caixa preta da Petrobras”. Sobre a acusação de que a oposição quer enfraquecê-la para privatizá-la: “É uma mentira bem urdida a ser explorada na campanha eleitoral que se avizinha”. Só discordo de um ponto. A campanha eleitoral não se avizinha, o presidente e sua turma já deram início a ela há muito tempo.

       NO MESMO lugar de onde foram retirados paineis publicitários, porque representavam perigo por desviar a atenção dos motoristas e provocar acidentes, o prefeito carioca colocou placas alusivas à Olimpíada de 2016. Questionado, o alcaide não só defendeu a transgressão, como fez pouco caso do perigo: “A Olimpíada é mais importante”. PQP é pouco!

       LEIO no Estadão que a Petrobras reduziu em 20% o patrocínio daquelas festas juninas eleitoreiras em municípios da Bahia governados pelo PT. Ponto para a CPI, que ainda nem começou...

       UM PETISTA niteroiense escreveu para o Globo, enfezado com a CPI da Petrobras: “Que moral têm (os senadores) para questionar a competência e a pujança da Petrobras, orgulho de todos nós brasileiros?”. Competência... pujança... orgulho de todos nós... Pois é, eis aí um dos chamados perfeitos idiotas sul-americanos, satisfeito com a ladroeira.

      PESSIMISTA, José Neumanne afirma num artigo: “Dificilmente a CPI da Petrobras produzirá efeitos de monta contra o uso deslavado de recursos públicos para financiar interesses privados”. Tudo bem, pode mesmo não produzir efeitos, mas pelo menos os beneficiários desse “uso deslavado” tomam um susto. Já é alguma coisa.

       CARLOS Minc, o que não sabe que passeata de protesto não é lugar de ministro, num instante de especial desvario chamou os produtores rurais de vigaristas. E um deputado da UDR não deixou barato: “Como responder a um desqualificado moral como esse? Esse homem não tem estatura, é irresponsável”.  Vai haver duelo? Perguntarão vocês. Que nada, Carlos Minc em matéria de violência nunca foi além da delinquência comuno-juvenil...

       DESCOBRIRAM que José Sarney vinha recebendo indevidamente R$ 3.500,00 como auxílio moradia. Indagado a respeito, a homem do bigode usou a já famosa desculpa de que não sabia. Faz sentido, três mil e quinhentos pra ele é troco...

      MAS o mais impressionante neste final de semana, amigos, foi a informação de que Fernando Collor e dona Dilma estiveram reunidos para discutir as táticas para neutralizar a CPI da Petrobras. O quê? Se esse Collor é aquelle? É, podem crer.

       O GOVERNO Federal lançou uma coisa batizada de Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, com 50 ações para se tornarem políticas de Estado. Entre essas ações estão visitas íntimas em presídios e realização de cirurgias pelo SUS para mudança de sexo, alongamento das cordas vocais e retirada do pomo de adão. O que essa gente não faz para cooptar simpatia eleitoreira. O ministério da Saúde estipendiando retirada de pomo de adão...

       ZIRALDO, que tem sobras de razão para ajoelhar-se diante desse governo, está preocupado com as sobrancelhas de dona Dilma. Acha que elas “atrapalham porque parecem dois circunflexos”. Esse seu reparo estaria a sugerir mais uma plástica? Taí, vamos em frente, velha guerrilheira, mãos (ou cara) a obras. E permite uma sugestão? Que tal trocar o circunflexo por um til? O til pegaria bem nesse rostinho de porcelana chinesa.                             

    Agora, um Merchandising: O programa Serginho Total está na Rádio Fluminense AM-540, diariamente, das 8 às 10. E eu estou lá, às segundas-feiras, contando histórias de meus livros.          



Escrito por homeroviannajr às 10h26
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




SANTIFIQUE-SE

                                                    É INFINDÁVEL a criatividade dos pastores, na exploração dos que têm fé demais e neurônios de menos. E a cada dia que passa cresce o número de templos ditos evangélicos, cada qual com a sua marca registrada, a atrair fieis. Sei que vocês não vão acreditar, mas acabei de ver um na beira da estrada, cujo nome é “Ministério da Santificação de Vidas”. É mole? Essa gente já está santificando, isto é, fabricando... santos. Amigo velho, se alcançar a santidade alguma vez passou pela sua cabeça, não perca mais tempo, procure o tal ministério. É claro que haverá uma retribuição financeira; um desembolsozinho. Mas também, você acha o quê? Que vai virar santo de graça? Tem que pagar, malandro. 



Escrito por homeroviannajr às 13h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




ENQUANTO SEU MESTRE NÃO VEM

         ENQUANTO Jaime Lerner não vem para – perdão pela ironia – acabar com os problemas viários de Niterói, os atuais experts em trânsito da prefeitura vão tocando a coisa a seu modo. E eles poderiam, antes que o mestre arme sua barraca na cidade, fazer algumas coisas triviais; coisas que não exigem engenho e arte, apenas um pouquinho de vontade. Coisas simples, como as sugeridas pelo meu amigo Paul Farsoun. Por exemplo: colocar em outros cruzamentos importantes da cidade uma engenhoca, como a que existe na saída do túnel Raul Veiga, para marcar o tempo de abertura do sinal; e dar uma geral em todos os sinais, já que muitos estão em péssimo estado. Em alguns locais eles simplesmente inexistem para os pedestres. Na rua Santa Rosa, esquina com Lopes Trovão, há um apenas para os carros; quem vai atravessar a rua tem que se orientar por ele, e os gênios municipais o colocaram atrás da faixa de travessia... Mas, dirão vocês, a chamada sinalização horizontal está uma beleza. Realmente, os homens estão pintando as ruas. Pintando até demais, digo eu. A impressão que se tem é de que está sobrando tinta... Não sei se vocês já repararam, há setas indicativas de direção até nos túneis; como se houvesse outro rumo a se tomar dentro deles a não ser seguir em frente. E em algumas ruas estreitas sapecaram, em toda a sua extensão, uma faixa dupla contínua, como as usadas nas estradas para proibir ultrapassagens antes de lombadas e curvas. Na Mário Viana, uma dessas ruas, sendo comum a presença de caminhões descarregando e a pista só permite a passagem de um carro, o motorista enfrenta então um dilema: ou ultrapassa e comete uma infração gravíssima, ou fica esperando indefinidamente, mesmo não vindo outro carro em sentido contrário. Amigos, Jaime Lerner já fará jus à grana que vai receber se, pelo menos, ensinar essa gente a não gastar inutilmente nosso dinheiro com tinta...



Escrito por homeroviannajr às 18h08
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




PEQUENAS CONSIDERAÇÕES DOMINICAIS

 

 E ANCELMO Gois não toma mesmo jeito. Cada vez mais engajado no governo, deu seu parecer em sua coluna no Globo sobre a CPI da Petrobras: “Essa CPI não tem, acho, muito sentido. É eleitoreira”. Um primor de isenção... Sugestão ao Globo: colocar no pé da dita coluna aquele logo cretino do governo...

O MESMO Ancelmo Gois, agora fazendo as vezes de Cupido, conta que, diante de ativistas pederastas, Serginho Cabral afirmou ter uma parceria antiga com Carlos Minc, mas advertiu: “não é aquela parceria que vocês estão pensando...”. Tendo Carlos Minc retrucado: “Por enquanto, né, governador?”. Sentiram o nível dos atuais homens públicos deste país?

 

     MARTA Suplicy saiu do ostracismo. Vai organizar um almoço eleitoreiro pró-Dilma em sua modesta residência, a fim de reunir, segundo os jornais, mulheres “formadoras de opinião”. Entre as convidadas, Adriane Galisteu e Ana Maria Braga. Tai, Ana Maria Braga! Fica a sugestão: Ana Maria Braga para presidente, caso a terrorista seja vetada pelo departamento médico. E o seu papagaio para vice...

 

 

       EM ENTREVISTA, Ronaldo declarou: “Não tenho condições de voltar à seleção agora”. Será que precisa ganhar mais uns quilinhos?

TOMANDO as dores do governo a que serve, Franklin Martins, o jornalista chapa branca que virou ministro, declarou em tom de ameaça: “A oposição subestima o orgulho que a população brasileira tem da Petrobras”. Será, ministro, que esse orgulho se estende aos cumpanherus que atualmente a administram?

 

 

 

       E CÉSAR Maia, hein? Foi se meter com música e está com toda a pinta de que vai dançar...

LUIZ Inácio, alheio ao fato de que administrar banco não é coisa pra metalúrgico, meteu o bedelho no Banco do Brasil e mandou seu presidente baixar os juros. Ele desobedeceu; não baixou e foi demitido. Pois é, com o novo presidente os juros... aumentaram.

 

 

 

      MILLOR Fernandes, preocupado com os gringos que estão levando nossos meninos para jogar futebol na Europa: “Daqui a pouco estarão exportando fetos. Mas, olha aqui, pensando bem, ômeus!, vocês não querem importar também um pouquinho de sêmen?”. Boa sugestão.

 

 

 

     RICARDO Noblat nos dá criteriosa opinião sobre Delúbio Soares e os que hoje lhe viram as costas: “Trata-se de um homem que prestou relevante serviço ao seu partido. E que agiu com autorização expressa ou velada dos seus superiores. Delúbio não traiu a confiança do PT. Correspondeu a ela. Calou e aguentou o tranco sozinho”. Um perfeito herói petista. Merece uma estátua.

 

       A EX-TERRORISTA Dilma, mesmo badalada por Lula, era uma pessoinha eleitoralmente irrelevante. Mas graças à doença, por paradoxal que isto pareça, ganhou força; não sai do noticiário. Marco Aurélio Garcia, aquele do top-top, estava certo em ver na moléstia um poderoso cabo-eleitoral. Te cuida, José Serra, o linfoma está dando Ibope.

 

 

 

       NÃO SEI se vocês já ouviram falar nessa campanha idiota batizada de “Xixi no Banho”. Querem nos convencer, como medida de economia da água da descarga, a urinar debaixo do chuveiro. Como tomo um banho por dia e urino uma dúzia de vezes, será que terei de ir para baixo do chuveiro toda vez que tiver vontade? Não creio. Aí o consumo de água seria maior; seria um tiro (ou um mijo) no pé...

 

 

 

      SEGUNDO os jornais, durante passeata organizada pela pelegada da CUT a patota que tomou conta deste país chamou de impatriótica a ação do Congresso para investigar a “festa” que eles vêm promovendo na Petrobras. Isto lhes daria então, por antítese, a condição de patriotas. E nos levaria, por via de consequência, a repetir aquela velha máxima segundo a qual o patriotismo é o último refúgio dos canalhas...

 

       E PARA terminar, duas frases. De Gilberto Geraldo Garbi: “Lula nunca teve ideias, apenas ambições”. E de Jânio Quadros: “O PMDB é uma arca de Noé, sem Noé”.                          

   

Agora, um Merchandising: O programa Serginho Total está na Rádio Fluminense AM-540, diariamente, das 8 às 10. E eu estou lá, às segundas-feiras, contando histórias de meus livros.



Escrito por homeroviannajr às 18h23
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




OS VENDILHÕES DE VOTOS

            PATRUS Ananias pode parecer nome científico de alguma fruta da família do abacaxi. Mas não é. Patrus Ananias é nome de ministro; do ministro que cuida da engenharia da Bolsa Família. Outro dia apareceu na TV para justificar o injustificável, ou seja, a extensão do óbolo oficial a moradores de rua, sem-terra, quilombolas e indígenas. Segundo ele, haverá a contrapartida da matricula dos filhos em escolas. Por favor não riam. Eu sei que isso é papo furado; que o governo não tem como, e nem está interessado em fiscalizar nada, mas não é pra rir. Estamos diante de mais um capítulo da grande embromação arquitetada por esse governo de espertos querendo nos fazer de bobos. Não riam porque é o nosso dinheiro, o dinheiro dos nossos cinco meses de trabalho transformado em imposto, que está sendo mais uma vez usado para aumentar o mais abjeto curral eleitoral jamais visto neste país. Mas como já falei demais sobre isso, vou passar a palavra ao engenheiro e matemático Gilberto Geraldo Garbi. Eis um pequeno trecho de palpitante artigo seu, lançado na inernet:  

            Minha convicção fundamenta-se em um fato simples: desde minha adolescência, quando comecei a me dar conta das desgraças brasileiras e a identificar suas causas, convenci-me de que na raiz de tudo está a mentalidade dominante no Brasil, essa mentalidade dos que valorizam a esperteza e o sucesso a qualquer custo; dos que detestam o trabalho e o estudo; dos que buscam o acesso ao patrimônio público para proveito pessoal; dos que almejam os cabides de emprego, as sinecuras e os cargos fantasmas; dos que criam infindáveis dinastias nepotistas nos órgãos públicos; dos que desprezam a justiça desde que a injustiça lhes seja vantajosa; dos que só reclamam dos privilégios por não estar incluídos entre os privilegiados; dos que enriquecem através dos negócios sujos com o Estado; dos que vendem seus votos por uma camiseta, um sanduíche ou, como agora, uma bolsa família; dos que são de tal forma ignorantes e alienados que se deixam iludir pelas prostitutas da política e beijam-lhes as mãos por receber de volta algumas migalhas do muito que lhes vem sendo roubado desde as origens dos tempos; dos que são incapazes de discernir, comover-se e indignar-se diante de infâmias”.



Escrito por homeroviannajr às 18h51
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




PETROBRAS, NOSSA OU DELES?

A PETROBRAS é nossa! O petróleo é nosso! Quantas vezes você já ouviu isto? Eu perdi a conta; ouço desde que ela foi criada. E como um idiota, enganosamente, sempre entendi esse “nossa” como da gente; nossa mesmo; do povo brasileiro. Mas para o PT e seus adventistas esse nossa é traduzido de forma mais objetiva, significa... deles, dos petistas e dos adesistas que os cercam. Hoje, esse pessoal, os chamados militantes, passaram a ocupar seus principais cargos e, aparelhada politicamente, ela passou a ser uma espécie de linha auxiliar do partido. Abriu os cofres para prefeitos, ONGs e movimentos companheiros. Paralelamente, seus êxitos passaram a ser capitalizados politicamente. Embora produzidos pela a ação de seus técnicos (por razões óbvias não puderam ser substituídos por cumpanheros), tais êxitos  passaram a ser jogados na mídia como obras do governo. Sempre com aquele logo mentiroso de que o Brasil é de todos. Pois é, agora, diante de um inquérito para dimensionar o malefício causado por esse aparelhamento, a súcia que tomou conta do país está em polvorosa. Partem até para a difamação com a lorota matreira que, de outra feita, já lhes serviu: "Querem privatizar!". E seus expoentes, isto é, os inefáveis CUT, MST, UNE, sindicatos e pelegos de toda estirpe, fizeram até passeata. E, vejam só: em protesto pela criação da CPI, criada para exame de atos, supostamente irregulares, dos que hoje administram a Petrobras como se fosse um negócio de família. Vejam que momento lindo estamos vivendo: uma passeata contra uma investigação moralizadora...



Escrito por homeroviannajr às 18h14
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




OS BARÕES DA BOLSA-DITADURA

O QUE vocês vão ler abaixo é um trecho de artigo de Augusto Nunes. Ele nos dá uma pequena idéia de quão desabrido é, hoje, o assalto oficial aos cofres públicos por pessoas que antes usavam métodos, digamos, convencionais com arma na mão. Leiam e, como eu, se surpreendam. Não com o fato em si, nada surpreendente tratando-se das figuras de que se trata. Mas com a aceitação, eu diria bovina, desse estado de coisas pelas pessoas de bem deste país.

Vocês certamente sabem que as indenizações aos ditos ‘perseguidos da ditadura' já somam uns R$ 4 bilhões, não? As pensões mensalmente pagas já devem estar custando hoje, aos cofres públicos (NÓS PAGAMOS), algo em torno de R$ 30 milhões. Sim, queridos: POR MÊS! Em alguns casos, poucos na comparação com o total de indenizados, houve de fato, tortura e/ou morte de pessoas sob a guarda do estado. E a indenização é justa e correta. Mas a grande maioria é formada por oportunistas descarados. O emblema da farsa ocupa o topo da República. Lula recebe, todo mês, quase R$ 5 mil da Bolsa-Ditadura. É considerado ‘um perseguido político’. Desde 1975, quando passou a integrar a diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo, até janeiro de 2003, quando assumiu a presidência, esse senhor não ficou um miserável mês sem receber salário, ou do sindicato ou do PT. Aquela militância lhe custou o que tem hoje. Foi preso pelo regime militar, segundo as leis daquele período, e, felizmente, nunca ninguém lhe encostou num fio de barba. Quando chegou à presidência, seu patrimônio oficialmente declarado estava próximo de R$ 1 milhão, superior à da esmagadora maioria dos trabalhadores brasileiros, operários ou não. Recebe a indenização por quê? Há várias respostas. Lembro duas. Em primeiro lugar, porque a impressionante elasticidade de sua moral pessoal lhe permite. Isso e muito mais. Ele tem até um ‘Ronaldinho’, lembram-se? Em segundo lugar, mas não menos importante, porque passou, dadas as suas vinculações com a esquerda, a integrar o grupo dos inimputáveis do Brasil. Por aqui, esquerdistas são sempre inocentes, ainda que, no mundo, sejam, como é sabido, quase sempre culpados. Ocorre que os veículos encarregados de dar voz e consistência à opinião pública estão tomados por militantes”.

Pois é, amigos, e além dele há uma infinidade de espertalhões mamando nas tetas do Tesouro Nacional. Ziraldo é um deles. Recebeu indenização milionária, e “mama” uma não desprezível pensão mensal porque o Pasquim, que ele dirigia, deixou de circular. Fechado pela ditadura? Não, por... problemas financeiros. E vocês sabem qual foi a mais importante realização desse “perseguido”? Não? Foi justamente ser sujeito e não objeto do verbo perseguir, com relação ao cantor Wilson Simonal, acusando-o de dedo-duro da ditadura, coisa que nunca resultou provada. Foi tão forte essa perseguição de Ziraldo e sua troupe que destruiu a carreira do rapaz. O outrora astro negro, recordista em venda de discos, que regia o Maracanãzinho e empolgava as plateias, de um dia para o outro caiu no ostracismo porque todas as portas passaram a lhe ser fechadas. Um filme atualmente em cartaz conta bem essa história. E por incrível que pareça, Ziraldo, o pai do Menino Maluquinho, mostrando que o maluquinho é ele, no filme faz piada ao comentar este fato, que deveria envergonhá-lo. Mas o que esperar de um cabra que, ele sim,  perseguiu, e malandramente recebe sua bolsa-ditadura sem ter sido preso, torturado ou perseguido?        



Escrito por homeroviannajr às 13h16
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
  feira hippie de ipanema
Votação
  Dê uma nota para meu blog